2017/01 Janeiro

2017/01 Janeiro

As nações todas são mistérios
Cada uma é todo o mundo a sós

Fernando Pessoa
In Mensagem

A cada Povo é proposto um ideal diferente
De realização de humanidade

Álvaro Ribeiro
In Escola Formal

“A razão de Portugal, a “razão de ser” deste país antigo encontra-se envolta na mais densa bruma. Tornou-se um mistério, ou é um mistério?
Emergência da nação lusíada, seu destino inesperadamente fulgurante, seu projecto áureo, sua persistente resistência à adversidade, sua longa e relutante decadência, seus mitos de regeneração, suas obras de génio, suas estrelas cintilantes, e dir-se-ia que proféticas no crepúsculo, tudo é hoje interpretado casualmente a partir de teorias da história opacas, diminutivas, reducionistas, que no fundo espelham o dominante espírito empecido da nossa época positivista, materialista, utilitarista”

António Quadros
In “Portugal, Razão e Mistério