2016/02 Fevereiro

2016/02 Fevereiro

Tempo de Entrudo
e Entrada dos Bárbaros no Império da Europa

… A verdade é que o mundo está cheio de bárbaros e nenhum país está livre deles; a língua do verdadeiro entendimento, da fraternidade, da convivência, das ideias mais sugeridas que impostas porque toda a caridade está em conseguir que as boas ideias surjam nos outros e não em nós; a língua, quase diríamos de silêncio, que levava a que se entendessem os espíritos sem que de mais vibrasse o ar, vai sendo cada vez mais sufocada pelos que sabem gritar e aí encontram uma perfeita expressão das afirmações de sua personalidade; a época é de vitória para quem empurra e clama: de vitória aparente; porque já também no outro desabar de um tempo de paz, acabaram os bárbaros, ao fim de certo tempo, por se agrupar à volta de silenciosos conventos”.
“Esta, não já invasão mas explosão de bárbaro, terminará a nossa Idade Média, aquela que veio ininterruptamente, só superficialmente mudando de aspecto, desde o séc. III ou IV até nossos dias, e que se caracterizará talvez pelo esforço de fazer regressar o homem de uma vida social a uma vida natural.
E só nos resta, no meio do inevitável tumulto, preparar no que pudermos aquela Idade Final que levará o homem a uma vida de sobrenatureza; a qual hoje só pela morte podemos atingir

Agostinho da Silva
“Bárbaros à Porta”  em “As Aproximações”
Edição de 1960 – Guimarães Editores