2015/03 Março

2015/03 Março

Vem, poesia, vem como vieste
No virginal começo de outras eras!
Vem amansar as feras,
Alegrar o cipreste,
E cobrir de ridentes primaveras
Este cimento que ninguém reveste!

Miguel Torga
em “Diário”. Coimbra, 4 de Julho de 1944