2012/10 Outubro

2012/10 Outubro

Falam as Escolas em Ruínas

A alma da infância é flor mimosa;
A escola é triste e a flor vermelha;
Na escola paira a c'ruja odiosa,
E sobre o cálice da rosa
A abelha.

Tu fazes, Pátria, as almas cegas
Pendendo a infância num covil,
Aves não cantam nas adegas
Se a infância é flor, porque lhe negas
Abril?

Guerra Junqueiro: “FINIS PÁTRIAE