+ Missão

+ A Fundação

+ Departamentos

+ Publicações

+ Eventos

+ Visitas de Estudo

+ Projectos Humanitários

+ Protocolos Institucionais

+ Contactos

+ Ligações

 

"Serviço de Pensamento
 da Vida e da Cultura Lusíada"

 

Projectos Humanitários

A Fundação Lusíada, como fundação privada e sem fins lucrativos, está porém reconhecida como Pessoa Colectiva de Utilidade Pública há mais de 20 anos – P.C.U.P. Nº 501 651 683 e tem como objectivos principais o Defender e Divulgar a Língua e a Cultura Portuguesa por todo o mundo e nesse aspecto tem dado gratuitamente apoio às populações lusas mais carenciadas e sobretudo às crianças em idade escolar, que vai desde auxílio e distribuição de livros e artigos escolares sobretudo para Países lusófonos da África e também em envio de roupas, calçado e bens médico-sanitários.

Entre outros projectos, a Fundação Lusíada está implementando em regiões da América do Sul, África e Ásia um dos maiores projectos de ajuda humanitária chamado - O.V.O. “Omnia Vita Omnibus” – Plena Vida para Todos, que constitui um dos mais relevantes Projectos Humanitários Internacionais  para a IRRADICAÇÃO DA POBREZA A NÍVEL MUNDIAL.

Ajude-nos com o seu DONATIVO a incrementá-lo. Envie o seu donativo para o IBAN da Fundação Lusíada:

IBAN - PT50 0033 0000 4538 0017 4080 5
SWIFT - BCOMPTPL

 


Projecto O.V.O. - OMNIA VITA OMNIBUS  » ver website

A erradicação da Pobreza em todo o Planeta não pode mais ser uma utopia, ou uma mera esperança – ela tem de ser uma certeza, uma realidade.

Todos os homens, mulheres, crianças, adultos e idosos, em qualquer parte do planeta em que estejam, têm direito natural à VIDA, e a vivê-la com dignidade. Isso implica que todos tenham acesso, não só aos bens e serviços mínimos, que lhe assegurem em pleno a Vida, a sua sustentação natural, como ao conhecimento, e ao desenvolvimento natural de seus corpos e de suas mentes.

Todos têm direito à Luz, inclusive a poder ver claro, mesmo no escuro – por isso, todos têm direito a ter, e a servirem-se da Electricidade.

Todos têm direito ao acesso livre, e ao pleno uso da água potável, fonte de vida e da sua normal sustentação.

Todos têm direito a prover à sua alimentação e variada, desde o acesso à produção e consumo de fruta, vegetais, cereais, peixe, carne.

Todos têm direito ao acesso e a manutenção de um ambiente natural puro, saudável e sustentável, e não poluído. Não se pode permitir que seres humanos vivam na imundície, com esgotos a céu aberto, no meio de gases tóxicos, e dentro de lixeiras.

Todos têm direito ao acesso ao ensino e ao conhecimento, à comunicabilidade, à informação visual ou escrita minimamente simples, clara, e verdadeira.

Todos têm direito aos cuidados de saúde, e medicamentos.

Todos devem ter direito a usufruírem em pleno a sua própria criatividade económico-financeira.

Por isso: A ajuda material e real dos países ricos, ou do Norte, aos países menos desenvolvidos, aos países mais pobres e do Sul, é imperativo imediato, e tem de deixar de ser meramente retórico, ou esperançoso, para passar a ser efectivo, real, e eficaz. E sendo este inclusive, o grande objectivo da U.E. para o ano de 2010.

A Fundação Lusíada, vem apresentar o Projecto O.V.O.


Descrição Sumária do Projecto O.V.O. - OMNIA VITA OMNIBUS

Todas as Unidades e núcleos de produção e indústrias referidas neste projecto, usam a tecnologia mais avançada que é actualmente conhecida, nos diversos sectores científicos em que se enquadram.


O presente projecto, considera todas estas vertentes enunciadas, mas integra num Todo único de desenvolvimento tecnológico e científico ao serviço da Humanidade e da erradicação da pobreza, e que poderá ser implantado em qualquer parte do Globo, quer desértico, quer savana, quer de orla marítima.

Daí, que, como a intervenção é proporcionar à Plena Vida para Todos – que em latim é traduzida por – OMNIA VITA OMNIBUS, se tenha dado ao presente projecto a designação de O.V.O. que por si próprio significa e simboliza o nascimento de toda a vida, e sua sustentabilidade – o “OVO” e que são as iniciais de Omnia Vita Omnibus.

Este projecto destina-se a ser observado, e analisado, não só pelos Governos dos Países onde existem núcleos habitacionais que necessitem ter acesso ao que no projecto é especificado e proposto, para aí ser implementado, como se destina também, a ser analisado pelos grandes Organismos Mundiais tais como a O.N.U. – (F.A.U., UNESCO), Comissão Europeia, Organismos de decisão Financeira, FED, B.C.E., B.M.D., B.A.D., como de grandes ou pequenos Investidores a nível mundial, de forma que a sua implantação não só seja um verdadeiro contributo a favor da erradicação da pobreza, como proporcione aos Governos, Bancos, ou Investidores Particulares, retirarem também e em tempo curto, o benefício justo da aplicação de seus capitais.

E para implementar este projecto integrado, não são necessários mais do que 7 a 10 hectares de terreno onde irão ter trabalho mais de 500 pessoas directamente, e proporcionar emprego indirecto a mais de 3.000.

Cumpre destacar que as sociedades colaboradoras do Projecto O.V.O. são de diversas nacionalidades, desde Portuguesa, Inglesa, Canadiana, Brasileira e Angolana, e têm na sua gestão, empresários consagrados, e cientistas de renome mundial, nas suas diversas áreas.

Apoiam ainda este projecto, dentro do ensino e da assistência médica, duas Instituições, ambas elas de actuação internacional e com mais de vinte e cinco anos de existência ou seja a Fundação Lusíada e a Fundação A.M.I.

Se uma das principais valias do Projecto O.V.O. é de no aspecto civilizacional do Homem poder respeitar a sua dignidade, e criar infra-estruturas para serem beneficiados os mais pobres, mais desfavorecidos, e os mais carentes de cuidados e atenções, e promover o seu desenvolvimento normal e natural.

Na deixa o Projecto O.V.O. de trazer outra grande valia, que é a de utilizando as técnicas e ciências mais evoluídas actualmente, as pôr ao serviço das populações delas mais carentes, e em qualquer parte do Globo onde tal seja necessário, quer esse sítio seja no deserto, na savana ou na orla marítima, locais onde ainda hoje não há electricidade nem água potável para beber.

Uma outra valia da OMNIA VITA OMNIBUS, é que tal projecto, pode e deverá ser utilizado e posto em prática, em qualquer local do Globo, sempre que as populações sejam vítimas ou de guerra, ou de calamidades naturais, tais como: terramotos, inundações, deslocações de terras, tsunamis, tufões, furacões e outras, onde a necessidade de restabelecer, e reconstruir infra-estruturas vitais para a sobrevivência dessas populações tal o exigem e com urgência.

Por outro lado, o Projecto O.V.O. propicia o fixar-se as populações em localidades, menos densamente povoadas, fora das grandes metrópoles ou centros urbanos, e daí diminuir drasticamente a emigração interna ou nacional.

E daí, este Projecto, contribuir também de forma básica fundamental, para fazer diminuir a emigração, obstando-se assim aos graves problemas sociais, económicos e políticos, que tal fenómeno traz não só a nível internacional para os países que se vêm despovoados dos seus cidadãos, como para os países receptores dessa emigração que é normalmente “impreparada” para o mercado internacional de trabalho.



    O Presidente da Fundação Lusíada
Dr. Abel de Lacerda Botelho


» Galeria de imagens sobre o Projecto O.V.O.